Deu positivo. E aí?

Tudo o que a mamãe precisa saber para estar segura, confiante e feliz nessa jornada! INFORMAÇÃO FAZ PARTE DO ENXOVAL :)

Deu positivo. E aí?

Baseado em 8 avaliações
  • 76 Alunos matriculados
  • 03 Horas de duração
  • 13 Aulas
  • 6 Módulos
  • 5 Avaliações
  • 6 meses de suporte
  • Certificado de conclusão
Parcele em 3x R$ 104,08 (ou R$ 297,00 à vista)
Comprar Agora Dê um passo adiante em sua carreira!
"Muito bom apesar de ter tido problemas de conexão.Com relação ao aprendizado em si muito bom..Apesar de já ter um filho de 5 anos..com o tempo acabamos esquecendo sempre de alguns detalhes."
Maiza
mais avaliações



Uma das melhores coisas que você pode fazer antes de dar à luz é fazer o curso da Sempre Materna preparatório para vivenciar da gestação à chegada do bebê. Nosso conteúdo reúne tudo o que a mamãe precisa saber para estar segura, confiante e feliz nessa jornada!

A abordagem é objetiva com módulos estruturados para que a absorção do conteúdo seja leve e eficaz!

Começamos falando da gestação para então mergulharmos nos tipos de parto e de anestesias para então chegarmos ao nascimento e o pós-parto imediato (logo após o bebê ter nascido). Também de grande importância para a futura mamãe são nossos conteúdos sobre o recém-nascido, a amamentação e os cuidados diários com o bebê, principalmente nos primeiros dias de vida com a higienização do coto umbilical, o banho e as diferenças para troca de fralda de um menino e de uma menina. Também faz parte das nossas aulas temas como procedimentos médicos (como monitoramento fetal e episiotomia), medicação, anestesia, habilidades de comunicação e estilos de vida saudáveis, aspectos emocionais da gestação e primeiros socorros. 

São mais de 18 anos evoluindo, aprendendo e desenvolvendo junto aos melhores e mais renomados profissionais da saúde e do mundo da maternidade o melhor da informação para você!


3 meses Sem tempo para fazer o curso agora? Não tem problema.
Você poderá participar desse curso até 3 meses após a matrícula.

Informação faz parte do Enxoval. Então mergulhe no curso Sempre Materna para Gestantes: Deu Positivo. E aí? E esteja preparada para vivenciar a gestação e a maternidade sem medo e sem dúvidas. Uma nova jornada importante como esta requer conhecimento. Seja você também Sempre Materna. Mais de 15 mil mamães já fizeram nosso curso. Não fique de fora

Sempre Materna
""

           

Nenhuma descrição cadastrada.

Conteúdo Programático

Que bom que você chegou. Você está no lugar certo.... Bem-vinda!
  • 1. Seja Bem-vinda!
É hora de entender a mágica da vida. Mergulhar nas transformações físicas que se vivência durante as aproximadamente 40 semanas de gestação. Venha ser Sempre Materna, basta dar play...
  • 1. Gravidez e Parto - P1
  • 2. Gravidez e Parto - P2
  • 3. Gravidez e Parto - P3
  • Módulo Gravidez e Parto - Hora de Testar
  • 1. Aspecto Emocionais - P1
  • 2. Aspectos emocionais - P2
  • Hora de testar os aspectos emocionais...
  • 1. Amamentação - P1
  • 2. Bônus Amamentação
  • 3. Amamentação - P2
  • Amamentação Pensou que não teria prova? :)
  • 1. Cuidados com o bebê - P1
  • 2. Cuidados com o bebê - P2
  • 3. Bônus Cuidados com o Bebê
  • Cuidados com o Bebê também tem prova...
  • 1. Pontos de Atenção e Primeiros Socorros
  • PESQUISA DE SATISFAÇÃO DA FUTURA MAMÃE

Dúvidas Frequentes

Sentir medo de praticar atividades físicas na gravidez é normal, pois há o receio de provocar um aborto ou prejudicar o bebê. Mas segundo o Ministério da Saúde, os exercícios são benéficos e ajudam a fortalecer a musculatura e o corpo da mulher para antes, durante e depois do parto. Porém, nem todos os exercícios físicos são recomendados durante a gravidez. As atividades físicas que exigem muito esforço físico ou que têm risco de acidentes devem ser evitadas.
Uma das perguntas comuns que a futura mamãe sempre faz é saber que tipo de alimentação deve comer e a quantidade. A gestante deve evitar ganhar muito peso, e por sua vez, alimentar-se adequadamente. A ideia de “comer por dois” é errada. O fundamental é incluir na dieta, nutrientes e evitar alimentos como as gorduras saturadas, os doces e as frituras. Importante ter a orientação de um profissional de nutrição.
Em geral, as grávidas devem evitar qualquer medicação a não ser que o seu médico a indique. Deve-se levar em conta que os remédios podem passar para o feto e afetar seu desenvolvimento.
Outra dúvida comum é sobre viagem de avião. Os vôos comerciais permitem que as futuras mamães viagem livremente até a 28ª semana de gravidez, o limite que muitas companhias começam a ter restrições. Mas essas viagens devem ser conversadas e decididas também pelo médico que acompanha o estado clínico de cada gestante
Muitas mulheres têm dúvidas de manter relações sexuais durante a gravidez por pensar que isso representa algum perigo para o bebê. A não ser que exista uma contraindicação médica, o casal pode manter sem problemas sua vida sexual.
O pré-natal é o acompanhamento da gestante em consultas regulares com o obstetra, que avalia as condições de saúde da mãe por meio de exames físicos, laboratoriais e de imagem.
Existem situações em que pode haver contaminação, todas controláveis.
Isso não é uma verdade absoluta. A partir da segunda cirurgia, os médicos desaconselham parto normal, pois há risco de ocorrer ruptura no útero. O órgão fica frágil por ter sido cortado mais de uma vez no mesmo lugar.
Vários fatores desencadeiam o parto antes do tempo. A mãe pode ter insuficiência istmo-cervical, ou seja, seu útero não segura direito o feto. O médico então costura o colo do órgão para que ele suporte o peso do bebê. infecções, sobretudo as urinárias, acidentes e estresse também são capazes de complicar a gestação. Outro agravante é o aumento excessivo do volume uterino, causado em gravidez de gêmeos ou de um bebê muito grande
Os médicos consideram que a gestante entrou em trabalho de parto quando tem mais de três centímetros de dilatação no útero. Desse momento em diante, um parto demora de oito a 18 horas. Mas, há casos e casos. Por isso não há uma resposta exata.
Antigamente, os médicos faziam a tricotomia (raspagem total) por achar que facilitava a higiene. Mas a prática caiu em desuso, pois as fissuras provocadas pela depilação aumentam as chances de infecção. O ideal é manter os pelos aparados ou curtos.
Quando o colo do útero não dilata o suficiente para a passagem do bebê ou demora demais e por algum motivo o parto precisa ser acelerado, o médico induz o útero a contrair, usando um hormônio chamado ocitocina, que é sintetizado em laboratório. Você o receberá injetado, por meio de um cateter no braço.
Tudo vai depender das suas condições de saúde e as do seu bebê. Se ambos estiverem bem, sim. A mamada na primeira hora favorece a capacidade de a mãe prosseguir com a amamentação com sucesso. Além disso, ela faz com que o bebê fique menos estressado e tenha a frequência cardíaca mais equilibrada. Além de todos os benefícios da amamentação, sugar o peito estimula a liberação de ocitocina na mãe, que incentiva contrações uterinas, expulsando a placenta.
Absolutamente normal. Isso acontece por causa do aumento da retenção de líquidos e da ingestão de medicações antidiuréticas, usadas para a contração do útero. Mas fique tranquila, já que seu pé desincha em uma semana.
Sim, as reações metabólicas podem causar febre baixa nas primeiras horas do pós-parto, mas ela logo regride. O importante é que não passe dos 38 °C. Nesse caso, é preciso investigar eventuais infecções. Agora, o que acontece normalmente, mais precisamente um dia antes do afluxo de leite, é o aumento natural da temperatura ao redor das mamas. Portanto, fique atenta para não confundir um caso com o outro.
Em caso de parto normal, sem a incisão na vagina (episiotomia), o casal pode voltar a fazer sexo tão logo se sinta confortável (e disposto!) para isso. Já na cesariana, a cicatriz uterina e as dores na região abdominal inviabilizam a relação por um, dois ou até três meses, dependendo da mulher. De maneira geral, os médicos costumam recomendar que os casais esperem pelo menos 40 dias antes de voltar às atividades sexuais.
Nos primeiros dez dias, que é o chamado puerpério imediato, o risco de infecções costuma ser maior. Depois disso, principalmente se houve incisão no parto ou se a mulher está com sangramentos, o problema é mesmo o desconforto e a dor.
O corpo retoma suas formas entre 40 e 60 dias. Já os seios só voltam ao normal depois do fim da amamentação.
Sim, mas isso ocorre por um período curto e logo os fios voltam ao normal. Em geral, as quedas começam entre dois e três meses após o parto e podem perdurar por até seis meses. Nesse período, suavize as escovações, evite banhos com água quente demais e massageie a cabeça sempre que se lembrar.
Sim, é o chamado lóquios. Ou seja, perda de sangue, muco e tecidos do interior do útero durante o período puerperal. Nos partos normais, o corrimento escurece até o final do primeiro mês. Depois, por mais um mês, uma secreção amarelada ainda permanece na região. Em pacientes submetidas à cesariana, o sangramento pode se prolongar até o segundo mês.

Cursos Relacionados

Conheça outros cursos que oferecemos para complementar seus estudos.

Voltar ao topo